O Porquinho-da-índia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Porquinho-da-índia

Mensagem  Admin em Sex Ago 05, 2011 11:10 pm

O Porquinho-da-índia


O que se deve lembrar ao querer ter um porquinho

Quando for comprar o seu porquinho-da-india, certifique-se de que ele está saudável e procure por sinais de doença tais como: diarreia, pêlo eriçado e opaco, piolhos, zonas sem pêlo e olhos lacrimejantes. Não compre um animal se desconfiar que esteja doente. Enquanto que quando se escolhe um cachorro, escolhemos normalmente aquele que é mais meigo e que vem logo ter connosco, com os porquinhos deve ser exactamente oposto. O porquinho bebé mais saudável é exactamente aquele que mais rapidamente foge, mostrando um sistema nervoso activo e atento e uma boa forma física. Depois pegue no porquinho e passe com um dedo pelo seu pêlo, no sentido contrário ao crescimento, verificando se encontra alguma caspa ou zonas sem pêlo que poderão indicar parasitas ou fungos. Certifique-se em seguida se não existem dentes partidos ou soltos, que o nariz está seco, os olhos brilhantes e que os seus movimentos são vigorosos. Tenha também a certeza de que o porquinho é mesmo do sexo que deseja adquirir e que, no caso de uma fêmea, ela não se encontra grávida (o local onde vai ter os machos separados das fêmeas é muito importante). O mais seguro é ir buscar um animal directamente a um criador de confiança.
Procure também por animais jovens, já que são mais facilmente habituados aos donos e não têm já talvez alguns medos antigos.

É muito importante lembrar que os porquinhos-da-india são animais extremamente sociáveis e vão-se sentir tristes e deprimidos se forem criados sozinhos numa gaiola. O ideal é que se tenha pelo menos dois do mesmo sexo, assim um fará companhia ao outro. Duas fêmeas é o ideal, já que raramente entram em conflito e convivem bem juntas, embora existam hierarquias na mesma que são muito divertidas de observar quando as compreender melhor. Dois machos juntos torna-se mais dificil, ou são irmãos que sempre viveram juntos, ou então escolha dois bebés, ou um macho adulto com um bebé, e mesmo assim observe-os muito bem porque os machos são territorialistas e podem lutar a sério, mesmo até à morte. Se juntar um macho adulto com um macho bebé, providencie ao porquinho bebé um esconderijo no qual apenas ele consiga entrar, porque o macho adulto vai tentar acasalar com o bebé e este precisa de um espaço para se esconder. Um casal não é muito aconselhável, principalmente a quem não tem ainda experiência com estes animais, veja na secção reprodução porquê.

Deve-se intervir quando está para se dar um ataque entre porquinhos, normalmente eles levantam a cabeça no ar e mostram os dentes ao adversário, começam a bater os dentes e a chegarem-se para trás para arranjarem espaço para o ataque. É neste momento que deve atirar uma toalha para cima deles ou de um deles e tirá-lo da gaiola, separá-los antes de um ataque. Não intervenha antes, normalmente um deles ou ambos páram antes de avançar para este nível, é um normal decidir de hierarquias que tem de ser estabelecido entre eles. Se alguma vez chegar mesmo a haver briga, separe-os e nunca mais os junte, porque vai-se repetir novamente e o resultado pode ser bem pior!

O local onde vai colocar a gaiola do porquinho deve ser arejado, mas sem correntes de ar, sem humidade e sem incidência directa do sol, que podem ser factores fatais.

Os Porquinhos-da-india são muito sensiveis ao calor e ao frio, morrem quando a temperatura atinge os -2ºC e o calor pode provocar ataques cardíacos fatais. No tempo de muito calor, é aconselhável colocar uma ventoinha fraquinha e soprar por cima da gaiola (não sobre a gaiola), colocar uma garrafa de água congelada bem enrolada numa toalha dentro da gaiola, para se poderem encostar. No tempo de frio, devem ter uma casinha onde possam aninhar juntinhos e pode mesmo comprar ou fazer uma mantinha para eles se deitarem quentinhos.

No Inverno não os coloque junto a aquecedores ou lareiras, pois podem morrer de ataque cardíaco devido ao calor excessivo. Em temperaturas muito baixas, é preciso ter em consideração, em caso de os colocar ao ar livre, de estes estarem protegidos do vento e da chuva e que tenham uma casinha por perto onde se possam aquecer.


O que vai precisar para o seu porquinho
Ao trazer o animal para casa, deve já ter pronto o seu alojamento. Forneça-lhe alimento e água e deixe o porquinho descansar e recuperar do stress da mudança. Os potes de comida e água devem ser de material pesado, como cerâmica, para que eles não os derrubem, e que possam ser amarrados nas grades da gaiola. Para a água também se pode usar aqueles bebedouros automáticos especiais para cobaias de laboratório, que mantém a agua mais limpa.

Gaiola e Alojamento

É bom lembrar o habitat natural dos porquinhos-da-índia - América do Sul - um local com clima quente e seco. É importante também pensar que os porquinhos selvagens têm os instinctos mais apurados que os porquinhos domésticos, conseguindo detectar antecipadamente as mudanças de temperatura, com tempo para procurarem um abrigo.

O tamanho mínimo para uma gaiola de porquinhos é de 80X80cm, embora eu pense que isso não é suficiente e a minha tenha cerca de 1m por 70cm com 3 porquinhos.

Embora eu defenda a ideia de que os porquinhos devem ser alojados dentro de casa, pois parecem-me frágeis para estar no exterior, vou tentar falar de ambos os alojamentos: exterior e interior.


Exterior:

No exterior, os porquinhos não podem procurar sozinhos um abrigo, portanto é mais fácil se o alojamento for móvel para que se possa colocar num local mais abrigado no inverno ou mais fresco no verão. Existem "gaiolas" próprias para exterior em lojas especializadas, normalmente em madeira e fechadas em cima, com apenas uma parede em rede na parte frontal. Estes abrigos devem estar levantados do chão cerca de 90 - 120cm e encostados a uma parede, primeiro para que não tombem, depois para manter os porquinhos a salvo de qualquer animal e protegidos da chuva. Deve estar num local onde o sol não incida directamente e onde não exista vento ou correntes de ar. Se mora no campo e existe agricultura por perto, cuidado com o pó que vem dos produtos utilizados na agricultura, que são fatais aos porquinhos. No inverno não se esqueça de colocar uma manta por cima da gaiola, principalmente durante a noite, para que possam estar mais quentinhos e proteja-os da chuva.


Interior:

No interior, o alojamento é mais simples e menos preocupante. Se existem outros animais em casa, basta mantê-los fora do quarto onde estão os porquinhos quando não estiver em casa, ou tenha uma gaiola fechada em cima e com esconderijos suficientes.

A gaiola do porquinho deve ter uma boa ventilação (paredes em grades) e deve ser grande para ele se movimentar livremente. Nunca deve ser usado um aquário de vidro, porque não tem ventilação necessária. A altura da gaiola, se for aberta em cima, deve ter 40, 45cm para que não consigam sair. É desejável um esconderijo dentro da gaiola, para que ele se possa esconder caso esteja com medo ou com vontade de se recolher a dormir. Um papelão com o fundo aberto e um buraco de lado é uma opção.

Os Porquinhos precisam de exercicio diário, por isso é preferível que a gaiola seja grande o suficiente para satisfazer essa necessidade, senão é aconselhável soltar o porquinho todos os dias um bocadinho. Pode fazer ou comprar uma área de recreio que deve ter tudo o que existe na gaiola. Outra opção é deixar um quarto na sua casa só para o porquinho. Neste caso, o porquinho deve poder voltar para a gaiola sempre que quiser e pode colocar caixas rasas com feno ou raspas de madeira nos cantos favoritos, para que usem como casa-de-banho, embora, pela minha experiência, eles prefiram sujar tudo mesmo

Material Necessário - Forragem da gaiola

Cada vez mais penso que este é um assunto muito importante visto a forragem e a frequência com que é mudada, poder contribuir para o aparecimento ou a falta de várias doenças. Como o Peter Gurney diz, um porquinho limpo é um porquinho saudável.

Quanto mais pesquiso, mais encontro nos artigos veterinários e livros de especialistas, que as raspas de madeira devem ser evitadas. Podem provocar doenças respiratórias, o que é mais grave no caso dos porquinhos, que já são predispostos às mesmas. Por outro lado, as raspas de madeira podem facilitar o aparecimento de doenças de pele, principalmente os problemas com fungos, pois secam demasiado a pele e o pêlo dos porquinhos. Além disso, as raspas de madeira absorvem muito bem a urina dos porquinhos, mas não a deixa evaporar, não sendo muito higiénico e podendo levar à acumulação de amónia (azoto transforma-se em amónio pela acumulação de urina ou de restos de comida – afecta gravemente o processo respiratório). Se utilizar raspas de madeira, use apenas as de pinho próprias para animais e prefira as que têm uma aparência mais branca e tratadas por aquecimento, sem qualquer essência ou corante.

Um dos materiais que é aconselhado então para forrar a gaiola dos nossos meninos, é colocar bastante jornal e cobri-lo completamente com bastante feno, assim os porquinhos estão constantemente a comer e o jornal deixa evaporar a urina. O facto de os porquinhos morderem ou mesmo ingerirem algum jornal não é preocupante. Primeiro porque eles apenas trincam no início por curiosidade e não em quantidades suficientes para que a tinta do jornal possa afectá-los. De qualquer forma, se parece que o porquinho anda a comer demasiado jornal, então é melhor deixar de o colocar.

Outra boa alternativa parecem ser os corncobs, um granulado natural a partir do sabugo do milho, que não provoca alergias e é bastante absorvente. Ao comprar este granulado, quanto maior melhor. Esta alternativa é mais despendiosa e mais difícil de encontrar, mas parece ser a mais segura.

O mais importante relativamente à forragem é a frequência com que ela é mudada e que a gaiola é limpa. Claro que o ideal seria limpar a gaiola todos os dias, mas mudar e limpar a cada 2 ou 3 dias já previne o desenvolvimento dos organismos que provocam as mais variadas doenças, sejam bactérias ou mesmo os ovos de mosca por exemplo. Limpando com esta frequência interrompe o ciclo de vida destes organismos, não os deixando desenvolver-se e consequentemente afectar os nossos bichinhos. Se alguma vez sentirem o cheiro de amónia ou virem fezes com fungos (camada branca por cima), então a gaiola tem de ser limpa com mais frequência. É bom também usar um desinfectante próprio para gaiolas de roedores, uma vez por semana, principalmente nos cantos com mais acumulação de urina, já que estes são os preferidos dos esporos dos fungos. Depois de secar, colocar então a nova forragem e não deixar os porquinhos por perto enquanto se desinfecta a gaiola.

Comedouros e bebedouros

Os melhores são os de cerâmica e com o perímetro da borda superior menor do que o da base, já que eles gostam de comer dentro do comedouro e isso evita que ele se vire e espalhe tudo. Os bebedouros devem ser de qualquer tipo com bico de metal e esfera, do que se compram nas lojas de animais para roedores grandes. Os comedouros e bebedouros devem ser lavados com a maior frequência possivel e desinfectados com Biocid, ou equivalente, quinzenalmente.

Acessórios e brinquedos
- Casinhas
- Brinquedos de roer
- Pedra de minerais ou sais
- Tubos, Túneis, Chubes
- Ramos de árvores de fruto para roer
- Pedra áspera (da rua mesmo) para gastar as unhas
- Esconderijos
- Alcofas
- Bolas de feno

Alimentação
É importante lembrar que a boa saúde do porquinho-da-índia depende de uma correcta alimentação, que deve ser variada, sempre fresca e tendo também em conta os gostos pessoais de cada porquinho, porque não são todos iguais.

Raízes

Os porquinhos devem comer algumas raízes todos os dias, como é o caso de:
- Cenouras: cálcio, ferro, sódio, potássio, e vitaminas A, B1, B2, B6 e C (3mg por 28g de cenoura); limpa os dentes, desenvolve os músculos mastigadores, regula o sistema nervoso e o aparelho digestivo e tem propriedades laxantes (não dar em muita quantidade); a ramagem da cenoura também pode ser dada
- Nabo: verdura alcalina que estimula a acção dos intestinos por ser rico em celulose, rico em cálcio
- Beterraba: vitaminas A, B1, B2 e C (3mg por 28g de beterraba), sódio, potássio, zinco, magnésio, ferro, ácido fólico; o suco de beterraba tem propriedades diuréticas; não deve ser dada em muita quantidade pois contém ácido oxálico que pode originar problemas renais

Verduras

Todos os porquinhos necessitam de comer verduras todos os dias, para além do feno e da ração. Praticamente todas as verduras que são boas para os humanos também o são para os porquinhos, com algumas excepções:
- Alface: só se deve dar alface como guloseima, já que tem baixos valores nutritivos (de vitamina A e C, niacina, cálcio, fósforo e ferro)
- Espinafres: não dar muito; são altamente ricos em ácido oxálico que afecta o sistema digestivo dos porquinhos, ricos em ferro, cálcio, fósforo, vitaminas A e do complexo B, com propriedades laxantes

Os porquinhos, tal como os humanos, não sintetizam a própria vitamina C, pelo que necessitam de a obter através de uma boa e equilibrada dieta vegetal diária. Necessitam de uma dose de 10mg por kg de peso do porquinho, por dia, passando para 20mg/kg em período de gestação. O excesso de vitamina C não traz quaisquer problemas, já que esse excesso é excretado pelos rins, mas a falta de vitamina C pode originar sérios problemas de saúde (escorbuto, distorfia muscular, atrofia e paralisia).
É importante retirar da gaiola as verduras que não forem comidas em algumas horas, para que não apodreçam na gaiola, pois se forem ingeridas sem estarem frescas provocam diarreia nos porquinhos.

Alguns vegetais bons para porquinhos incluem:
- Brócolos: rico em vitaminas A, B2 e C (17-20mg por 28 g de brócolos), ácido fólico, fósforo, ferro, cálcio e fibras
- Rebentos de Couve-de-bruxelas: podem ser dadas as folhas; vitaminas A, B6 e C (17-20mg por 28g), ácido fólico, ferro, potássio; em excesso podem causar distensão abdominal e flatulência
- Couve: vitaminas A, B6 e C (17-20mg por 28g), cálcio, ferro, cobre, fósforo e potássio; tem propriedades laxantes (não dar em muita quantidade)
- Folhas verdes da couve-flor: teor basicamente igual ao da couve
- Couve lombarda: ácido fólico, vitamina C, ferro
- Tomate: vitaminas A, B e C, e de sais minerais como Fósforo, Ferro, Potássio e Magnésio
- Pepino: óptimo tónico, alto teor de sílica e flúor, deve ser consumido com casca
- Aipo: podem-se dar as folhas e os talos; vitaminas A, B1 e C (2mg por 28g)

Fruta

Quanto à fruta, alguns porquinhos adoram enquanto outros dão apenas umas dentadas e deixam de lado. É necessário um cuidado especial com as maçãs, pois alguns porquinhos têm uma sensibilidade mais alta nas membranas dos lábios, nas quais a acidez da maçã pode originar feridas abertas que, se não tratadas, podem alastrar às narinas e interior da boca. Por isso é recomendável dar maçã apenas como uma goluseima, em poucas quantidades e se verificar alguma ferida ou crosta nos lábios, corte imediatamente com a maçã.

As frutas recomendadas para porquinhos são:
- Banana: potássio, ajuda a controlar a diarreia
- Laranja: não tem tanta vitamina C como se julga, as verduras têm mais e muitos porquinhos nem lhe tocam, rica em fósforo, cálcio, ferro, iodo, potássio
- Uvas: vitaminas A, B e C, açúcar saudável, ferro, cobre, fósforo e magnésio; o sumo de uva tem propriedades diuréticas
- Melão: cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A, B1, B2 e C, propriedades diuréticas e laxantes (não dar em muita quantidade)
- Pêra: rica em potássio, sódio, cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, silício, ferro, fibras, vitaminas A, E, C e do complexo B
- Meloa: rica em vitaminas do complexo B, cálcio, hidratos de carbono, propriedades diuréticas
- Maçã: vitaminas A, B1, B2, B6 e C (1mg por 28g), sódio, potássio, magnésio e fósforo, as maçãs vermelhas possuem maior teor de vitaminas e minerais

Plantas selvagens

Nunca apanhe plantas à beira da estrada, provavelmente estão infectadas pelo fumo dos carros e pelo chichi dos cães que passam. É importante também que estejam livres de fungos, de mordidelas de insectos, pontos vermelhos, substância branca, etc. Não colha também em campos cultivados que podem estar contaminados com químicos usados na agricultura.
Uma boa planta selvagem é a própria relva, da qual os porquinhos de alimentaram desde sempre no seu habitat natural, rica em vitamina C e em fibras, boa para o sistema digestivo e para o desgaste dos dentes. No entanto, é mais seguro comprar erva própria para gatos à venda nas lojas de animais, do que colhê-la da rua e poder vir acompanhada de ervas venenosas para os porquinhos. A erva ou relva deve ser dada aos poucos, devagarinho, começando com poucas quantidades, para que não cause diarreia ao porquinho. Depois de umas semanas pode já dar em bastantes quantidades principalmente durante a primavera e o verão.

Algumas plantas boas para porquinhos incluem:
- Trevos (verdes, não rosa)
- Cevada (contém certas propriedades que podem originar uma doença chamada “broken back”, dar só como guloseima, em poucas quantidades)
- Dente-de-Leão (propriedades laxantes – pode provocar diarreia em excesso)
- Cardo-morto (propriedades laxantes – pode provocar diarreia em excesso)

Plantas venenosas para porquinhos:
- Anémona
- Beladona
- Corriola (planta trepadeira)
- Madeira de Buxo
- Azeda
- Celidónia
- Luva de raposa
- Cónio
- Ruibarbo (selvagem ou cultivado)
- Ramagem da batata

Se estiver indeciso se a planta é boa ou não para porquinhos, o melhor e mais seguro é não dar, para que não corra o risco de envenenar o animal.

Ração

A ração tem de ser própria para porquinhos-da-índia e que tenha vitamina C (as minha marcas preferidas incluem a Versele-laga e Extravital). É importante não esquecer que a ração perde o valor de vitamina C após 9 a 12 semanas de o pacote estar aberto. Nunca se deve dar ração de coelhos que pode conter um medicamento nocivo para os porquinhos, usado para combater a Coccidose nos coelhos, que está relacionado com mortes esporádicas em porquinhos, diarreia, diminuição da eficiência digestiva. Além disso, a ração para coelhos não satisfaz as necessidades nutritivas dos porquinhos, tem falta de vitamina C e excesso de vitamina D.
Cuidado com rações com sobrecarga de proteínas, o nível de proteínas deve estar entre 14 e 18%.

Valores óptimos de ração:
Em Manutenção: Óleo 2,6%, Proteína 13%, Fibra 8%
Em Criação: Óleo 3,5%, Proteína 18%, Fibra 11,2%


Quando e Como?

É importante estabelecer uma rotina alimentar, dando a comida sempre à mesma hora. O ideal é dar as verduras, fruta e raízes duas vezes ao dia, dando as verduras e fruta de manhã e cenouras à tarde, por exemplo. Duas folhas de verduras, uns pedacinhos de fruta e a cenoura fornecem uma boa dieta alimentar.
É muito importante que a gaiola tenha sempre feno, água e ração à disposição.
Qualquer mudança na alimentação deve ser efectuada lentamente para não originar diarreia e perturbações digestivas.
Não se devem dar alimentos directamente saídos do frigorífico, que podem também provocar problemas digestivos, é preferível deixá-los primeiro à temperatura ambiente por uns minutos. Cuidado também nos alojamentos no exterior, as verduras que ficam no alojamento durante a noite no Inverno, podem também gelar e provocar os mesmos problemas.

Saúde e Higiene

Monitorizar a Saúde do seu Porquinho-da-Índia

Observações Diárias

Estão os olhos do seu porquinho limpos? Ele mantém-se alerta? Reage a si e à comida como sempre reagiu? Sente alguma protuberância ou alto no porquinho? As fezes parecem uniformes? Estará o porquinho a beber normalmente? Está a andar normalmente? A cabeça inclinada pode significar uma infecção auditiva ou ácaros nas orelhas.

Exame Semanal de Saúde

Pese o seu porquinho-da-índia e registe o seu peso. Examine por completo o seu porquinho.

Observe os incisivos: Estão partidos ou descolorados? Estão as extremidades desgastadas? O seu porquinho baba-se?

Examine as patas: O porquinho tem esporas (alto caloso)? As esporas podem ser cuidadosamente cortadas usando um corta-unhas (evite cortar demasiado perto para evitar sangramento). Tem algum inchaço na palma dos pés? As unhas precisam de ser cortadas?

Observe o interior das orelhas: Vê restos de algo? Está a orelha irritada? Uma gota de óleo mineral pode ajudar a amolecer depósitos usuais de cera nos ouvidos. Limpe o interior da orelha com um pano suave.

Examine a pele: Procure protuberâncias ou altos, principalmente por baixo do queixo.

Examine os genitais: Está a área molhada ou inflamada? Se possui um macho, aprenda como inspeccionar o ânus e o saco perineal. Como o macho marca o território, pode ficar material da cama ou da forragem da gaiola alojado no saco. Os machos mais velhos podem necessitar de uma limpeza regular, no caso das fezes não saírem normalmente (veja em www.guinealynx.info sobre mais informações sobre retenção de fezes e sobre outras condições). Quando pegar num macho, coloque a sua mão por baixo da anca. Sentirá algo duro dentro da bolsa se o porquinho estiver a reter as fezes.

(retirado de "Cavy Health Record Book" - Guinealynx.com)

Dados Fisiológicos

Temperatura corporal: 38,3-40ºC (100-104ºF)
Batimento cardíaco: 230-320 pulsações por minuto
Frequência Respiratória: 90-150 movimentos por minuto
Volume Tidal (volume de ar a cada respiração): 2-5ml/kg
Volume de sangue (no corpo): 6% do seu peso corporal
Expectativa de vida: 4-5 anos, pode ir aos 8 anos
Temperatura ambiente óptima: 20-22ºC (aceitável:15-18ºC)
Humidade ambiente óptima: 45-65%
Consumo de alimentos (diário): 6g de alimentos (por 100g de peso corporal), dos quais 2-4g correspondem a alimentos secos – ração (ingerem 8% do seu peso corporal em ração)
Consumo de água (diário): 85ml (adulto) – aproximadamente 8ml por 100g de peso corporal

Maturidade Sexual (fêmeas): 4-6 semanas de idade
Maturidade Sexual (machos): 4-6 semanas de idade
Idade para iniciar criação (fêmeas): 4-5 meses, 500g de peso
Idade para iniciar criação (machos): 3-5 meses, 550g de peso
Período de cio: a cada 15-17 dias
Ovulação: espontânea – aproximadamente 10 horas depois de iniciar o período de cio
Gestação: 59-72 dias (depende do tamanho da ninhada)
Número de crias por ninhada: média de 3 (1 a 6) crias
Peso ao nascer: 75-100g
Duração de fertilidade (fêmeas): 4-5 anos
Duração de fertilidade (machos): 5 anos ou mais
Período de lactação: 3-4 semanas

Fonte: Richardson, V.C.G. - Diseases of Domestic Guinea

O que é normal? O que não é normal?

Fezes

As fezes devem ser uniformes e ovais, num tom de castanho médio a escuro. Fezes esverdeadas e com cheiro podem ser (caecal pellets) que os porquinhos-da-índia ingerem (necessários para uma boa nutrição).

Fezes maciças podem indicar retenção de fezes
Fezes mais pequenas e/ou em forma de lágrima podem indicar desidratação e/ou que o porquinho está a comer menos
Diarreia pode ser uma ameaça à vida do porquinho. Se as fezes forem apenas mais moles, parar de dar vegetais temporariamente pode ajudar. Procure um veterinário imediatamente em caso de diarreia severa, porque pode indicar uma séria infecção por parasitas ou bactérias.

Urina

A urina deve ser de cor clara ou um pouco escurecida. O que causa esse escurecimento são os compostos de cálcio. A urina normal não é de textura arenosa. Urina seca normal pode deixar um pó branco dos compostos de cálcio. Mas urina de textura arenosa pode indicar lixo na bexiga. Por vezes a urina pode mudar para um tom alaranjado quando fica depositada por algum tempo. Porquinhos-da-índia muito novos têm muitas vezes a urina com um tom alaranjado ou acastanhado. Uma urina com um cheiro demasiado activo pode ser um sinal de desidratação.

Sangue na urina não é normal e pode ter como causa uma infecção urinária, pedras na bexiga, ou (nas fêmeas) problemas reprodutivos como infecções no útero.

Perda de peso

Perda de peso é um sinal precoce de várias doenças. Para ajudar a monitorizar a saúde do seu animal, pese o mesmo todas as semanas. Utilize as páginas de registo de peso e tratamentos neste mesmo manual, um bloco de notas, ou um calendário, mas não se esqueça de registar o peso do seu porquinho regularmente. Apesar do peso flutuar ligeiramente durante o dia, uma perda de peso de 55 a 85g pode ser o despoletar de um problema. Se o seu porquinho perdeu 115g ou mais, procure um veterinário imediatamente.

Consumo de água

O consumo de água é diferente para cada porquinho-da-índia. Se o porquinho comer bastantes e diferentes vegetais (molhados e ainda húmidos), pode parecer que ele bebe muito pouca água. Se está preocupado com isso, procure sinais de desidratação. O consumo excessivo de água pode indicar diabetes ou um não funcionamento correcto dos rins. Outra razão poderá ser dores. Animais doentes (especialmente com problemas nos molares) podem não conseguir comer mas bebem água excessivamente. Certifique-se que o seu porquinho não está apenas a brincar com o bebedouro (ou que o bebedouro não está a verter água) se suspeitar que o seu animal está a beber água em demasia.


Olhos

Os olhos devem estar limpos e simétricos. Olhos com crostas são um sinal de infecção por bactérias. Trate de possíveis ferimentos nos olhos imediatamente para prevenir a perda de um olho. Olhos aguados podem significar desidratação. Alguns porquinhos-da-índia desenvolvem uma perturbação chamada “olhos de ervilha”, na qual a conjuntiva branca (membrana dos olhos) está visível. Procure tratamento se existem lágrimas, crostas ou vermelhão (inflamação). Nota: os porquinhos segregam usualmente um fluído leitoso e branco que serve para limpar o focinho.

(retirado de #Guinea Health Record Book" Guinealynx.com)

Medicação Perigosa

Todos os antibióticos afectam a flora intestinal do porquinho-da-índia. Alguns são mesmo tóxicos e podem causar uma diarreia mortal. Amoxicilina (amoxicillin; encontrada no Clavamox) é muitas vezes erradamente prescrita por veterinários inexperientes. Não permita que o seu veterinário prescreva Amoxicilina ou qualquer outro medicamente que tenha por base a Penicilina. Um veterinário experiente em porquinhos-da-índia não deve nunca prescrever um destes medicamentos e deve estar apto a providenciar uma lista mais completa de medicamentos tóxicos.

Medicamentos a evitar!

Esta lista inclui alguns dos mais mortais antibióticos. Evite estas substâncias, assim como os seus derivados. Estas substâncias podem causar uma diarreia fatal e irreversível, logo, não devem nunca ser usadas e só vão piorar o problema. Nunca auto-medique o seu porquinho, consulte SEMPRE um veterinário se verificar algum problema ou mesmo como manutenção, até para serem desparasitados e vistos regularmente.

Amoxicillin (amoxicilina)
Ampicillin
Bacitracin (bacitracina)
Cephalosporins
Cephalexin
Cefazolin
Chlortetracycline
Clindamycin
Dihydrostreptomycin
Streptomycin
Erythromycin
Lincomycin
Oxytetracycline
Penicillin (penicilina)
Cefadroxil

(retirado de "Guinea Health Record Book" Guinealynx.com)

Grooming

Há quem defenda que os porquinhos-da-índia devem tomar banho de 3 em 3 meses, mas um banho de 6 em 6 meses ou anual como manutenção pode ser suficiente.

Com os porquinhos de pêlo comprido, deve-se também pentear regularmente e cortar o pêlo pela altura do chão (se não for um porquinho de exposição) para que o pêlo não se suje tão facilmente e não embarasse.

Como dar banho

Dar banho aos porquinhos é uma óptima arma contra parasitas e fungos, mas tem de ser efectuado com muito cuidado, já que os porquinhos são propensos a doenças respiratórias e podem adoecer se não forem bem secos e apanharem uma corrente de ar. Há quem prefira inclusive não dar banho aos porquinhos, a não ser que seja mesmo necessário, mas vários sites credíveis estrangeiros e especialistas em porquinhos-da-índia aconselham o banho com alguma regularidade, inclusive com produtos próprios para a prevenção de doenças de pele e fungos.

Para dar banho a um porquinho, utilize uma banheira de bebés ou o lava-loiça da cozinha ou casa-de-banho. Mantenha a temperatura da sala constante, sem correntes de ar, nem muito frio. Encha com um pouco de água morna (não quente) até cobrir as patas do porquinho e com as mãos vá molhando todo o seu corpo. Não utilize o chuveiro nem encha com água enquanto o porquinho está lá dentro, isso origina muito stress no porquinho que vai associar o banho a uma situação má. Vá falando com ele, fazendo festinhas para que o banho seja agradável para o seu animal. Utilize um shampô próprio para roedores ou shampô para gatinhos bebés (sem insecticidas ou produtos agressivos) e massaje bem todo o corpo, não esquecendo a barriga e o focinho, mas sem molhar ou deixar entrar shampô nos olhos, boca e ouvidos. Depois enrole-o numa toalha e seque-o bem, só o coloque novamente na gaiola quando estiver bem seco. Há pessoas que utilizam o secador, eu prefiro secar os meus com uma toalha e depois mantê-los deitados e enroscados numa toalha seca (dentro de um alguidar por exemplo) enquanto secam totalmente.

Para pentear o seu porquinho de pêlo comprido, utilize uma escova macia (como as de bebés) e não escove junto à pele, pois esta é muito sensível e chega a ganhar feridas com a fricção.

Não se esqueça de proteger os testículos dos machos, quer no banho, quer no pentear, quer quando corta o pêlo!!! Coloque os seus dedos à volta dos mesmos, sem apertar, para que não os atinja com a escova, tesoura, e para que não batam em algum lado.

Como Animal de Estimação

Os porquinhos quando são criados em grupos pequenos de dois ou três animais são excelentes companheiros. Ficam muito amigos do dono e pelo seu bom temperamento, sociabilidade, não agressividade e facilidade de manejo, é considerado uma boa opção como animal de estimação para crianças (sempre sob vigilância). Comparado a outros roedores e animais de pequeno porte, tem as vantagens de ser mais lento, relativamente fácil de ser apanhado e ao mesmo tempo mais dificil de se esconder. Embora apreciem uma soneca durante o dia, os porquinhos estão sempre dispostos a um passeio ou a uma brincadeira, dormindo depois à noite. Qualquer dono de porquinhos poderá dizer porque gosta tanto deles, dos seus gritinhos a pedir comida em bicos de pés, do seu focinho lindo, da sua meiguice, etc, só quem tem e realmente gosta deles e se dedica a eles, recebe em troca tudo de bom que eles têm para dar!

Se já tiver cães ou gatos em casa, estes sentem a casa como sendo deles e devem ser gradualmente apresentados aos porquinhos recém chegados. Dê ainda mais atenção ao seu gato ou cão do que o costume e devagarinho vá deixando ele cheirar o porquinho no seu colo. Nunca deixe os porquinhos soltos sozinhos com um cão ou um gato, ou outro animal de estimação.

Os porquinhos expressam tudo o que sentem vocalmente e corporalmente: medo, agressividade, contentamento, fome, etc. Se prestar bem atenção aos sons e movimentos dos seus porquinhos, em pouco tempo já os compreende e conhece muito bem e às suas necessidades. Veja em http://os3porquinhos.tripod.com/sons.htm a variedade de sons que os porquinhos produzem e o que significam.

Texto de Sandra Silva, gentilmente cedido ao CAPI

Visite a Página do CAPI e associe-se como mais um Amigo dos Porquinhos-da-índia

http://capi-portugal.com



Admin
Admin

Mensagens : 22
Data de inscrição : 03/08/2011

Ver perfil do usuário http://porquinhos.criarforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum